Chile: Dicas de Santiago e arredores

Já faz um bom tempo que fui ao Chile, mas vira e mexe alguém me pede dicas de Santiago e arredores… certas coisas não mudam nunca, então vou resumir e relembrar aqui algumas dicas por onde passei.

Vista da Chegada

Vista da Chegada

Comidas que você precisa experimentar:

Cachorro quente com “palta” (em Santiago, até o Mc Donalds tem hambúrguer com palta, que é uma pasta de abacate… dá um sabor incrível!); Ceviche (Assim como o Peru, o Chile tb é famoso pelos seus ceviches); Pisco (independente de onde você estiver… toma que é bom!!rsrs); Pastel de Choclo(De-lí-cia!); Mote com Huesillos (me surpreendeu demais… a cara é feia, mas é gostoso!).

Comida Santiago

Santiago tem vários parques bonitos, as pessoas são muito educadas, existem milhares de cachorros maravilhosos e simpáticos, o metrô te leva para quase todos os lugares. Conseguimos conhecer praticamente tudo na cidade de metrô, mas andamos MUITO também… tem que ter disposição!

Santiago del Chile

Chegamos em Santiago na hora do almoço e fomos direto conhecer os pontos turísticos do centro. Pontos interessantes: Palacio La Moneda, Plaza de Armas, Catedral (mto bonita) e alguns outros edifícios bonitos nos arredores. Aproveitando que o tour foi rápido e estávamos no centro, fomos almoçar no Bar Nacional, que é um restaurante e bar bem típico, existe há mais de 50 anos… pratos deliciosos, bem servidos e com preço justo!

Almoço em Santiago

Algo que vimos bastante no centro, mas não entramos para conhecer, são alguns cafés no estilo que eles chamam de “Café com Piernas”, são cafeterias que só tem garçonetes com vestidos mega grudados e curtos… é tão estranho que chega a ser engraçado! Tentamos ir no Museo Chileno de Arte Precolombino que dizem que é legal, mas ele estava fechado para restauração. Em seguida passeamos pelo Mercado Central, não achei muito atrativo, mas tem ótimos restaurantes, o Donde Augusto é o mais famoso e serve vários pratos com frutos do mar… não comemos nenhum pq o marido alérgico à frutos do mar (#solidariedade). Conhecemos também o Mercado Vega Central, resolvemos ir por curiosidade, é um pouquinho mais longe e é dispensável, meio bagunçado, cheio de mosquitos e não tem nada tão interessante.

No nosso segundo dia, pegamos o metrô até a estação Los Dominicos e fomos à Feira de artesanato Pueblito Los Dominicos, o lugar da feira é legal mas só serviu tirar foto… preços bem “pega turista”. Ao lado da feira tem uma singela igrejinha bem bonita. De lá, fomos para o bairro Lastarria, tentamos ir na Biblioteca Nacional (dizem que é bonita), mas estavam em greve, então fomos direto para o Cerro Santa Lucia, passeio lindo e imperdível… tem que andar bastante e subir várias escadas, mas o caminho é bonito e a vista lá de cima é linda (tem que dar sorte, pq as vezes a poluição esconde tudo!).

Cerro Santa Lucía

Cerro Santa Lucía

Saindo de lá, fomos caminhando para o bairro Bellavista, é uma boa caminhada, mas o trajeto é tranquilo e tem mta distração (parques, lojas legais, edifícios bonitos, Rio Mapocho…). Chegando no Bellavista, fomos fazer a visita guiada à casa de Pablo Neruda (La Chascona), a visita dura 1 hora e é bem interessante, os guias adoram os brasileiros, e dependendo de onde o visitante for, tem muitos casos de Neruda pra contar. Não é permitido tirar fotos dentro da casa. Como tivemos que esperar bastante pelo nosso horário da visita, passeamos pelo bairro quase todo. O bairro Bellavista é o bairro bohemio da cidade, cheio de barzinhos e ótimos restaurantes!

Neruda

No nosso terceiro dia na cidade, já tinhamos conhecido vários brasileiros e acabamos formando um grupo de 10 pessoas. Fomos todos em uma excursão para o Valle Nevado. A excursão era meio duvidosa, fomos por uma agência que ficava na rodoviária, o passeio era o dia todo, incluía aula de esqui, equipamentos, almoço e o preço era honestíssimo! Para o nosso alívio, deu tudo certo e o passeio foi excelente. Aprendemos a esquiar fora da estação Valle Nevado (por isso o preço camarada!rsrs), não tinha nenhuma estrutura como da estação, mas em compensação tínhamos a pista e o professor só pra gente (para amadores, foi o suficiente!). Depois fomos para a estação Valle Nevado, que não cobra entrada, vc pode entrar e conhecer tudo, mas se vc quiser esquiar, tem que pagar.

Valle Nevado

Pra quem não gosta de altura e estradas precárias… preparem-se, o caminho até Valle Nevado é sinistro, deve ter umas 30 curvas (curva meeeesmo!), a estrada é estreita, de mão dupla e beirando o precipício!

Valle Nevado

Dica: Leve um saco de chips… no decorrer da viagem ele vai inchando, fica igual uma bóia de tão cheio, o meu não aguentou e estourou… é bobo mas é legal!

Valle Nevado

No dia seguinte fomos conhecer a Vinícola Concha y Toro, pegamos o metrô e depois táxi. Fizemos a visita guiada pela vinícola, lá dentro é lindo, tem direito a degustação e no fim vc leva a taça como lembrança. Algumas pessoas tinham me falado que é mto programa de turista, pode até ser… mas adorei e acho que vale a pena, tem que ter!

Concha Y Toro

De lá, voltamos para o Bairro Bellavista, e fomos ao Cerro San Cristobal. Lá você tem a opção de subir de Funicular (é tipo um bondinho), no meio do caminho tem a entrada para o zoológico, então vc tem opção de comprar ida e volta, ida e volta com zoológico, só ida… vc decide, pois é possível voltar descendo por uma trilha. Escolhemos descer pela trilha e foi furada, anda pra caramba e não tem nada de imperdível no caminho. Lá em cima do Cerro a vista é de tirar o fôlego, tem uma estátua da Virgem Imaculada que é linda também. Aproveitem pra experimentar o Mote com Huesillos nas lanchonetes que tem por lá… foi dos mais gostosos que tomamos!

Cerro San Cristobal

No quinto dia pegamos o metrô até a rodoviária, e lá compramos as passagens de ida e volta para Viña del Mar e Valparaíso (vc pode ir por uma cidade e voltar por outra, sem horário definido… os ônibus saem de hora em hora), pesquisem os preços das passagens, são 2 empresas que fazem o trajeto, não lembro qual escolhemos, mas lembro que a diferença de preços era grande. Programem para sair cedo, pq a viagem demora mais ou menos 1:30h.

Chegando na rodoviária de Valparaíso, ofereceram vários passeios por Valparaíso e Viña Del Mar, mas eu já tinha pesquisado bastante sobre os lugares e preferimos ir por conta própria pra poder fazer tudo do nosso jeito e sem hora marcada! A primeira impressão da cidade é feia… quase sinistra! Mas é só pegar o metrô até a última estação de Valparaíso que tudo muda, descendo lá vc já está perto de quase todos os pontos turísticos.

Valparaíso

Existem muitos monumentos e edifícios bonitos, mas o legal são os ascensores (elevadores bem velhos pra subir os vários morros de lá). São vários ascensores, mas nem todos valem a pena, fomos em três: El Peral, Concepcion e o outro eu não lembro o nome!!!

AscensoresVale muito a pena, cada um tem uma peculiaridade e um charme… bares, monumentos, praças, museus… lindo de viver! Se estiver animado e com tempo, vale a pena conhecer mais ascensores. Em Valparaíso quase não aceitam cartões, então leve dinheiro pra não passar aperto!

Valparaiso

A maneira mais fácil e barata de chegar em Viña del Mar é de metrô. A cidade é bem mais urbana que Valparaíso, tem trânsito, agitação e aceitam cartões em todos os lugares. Chegamos lá e já fomos direto conhecer a “Quinta Vergara”, onde tem o jardim botânico, alguns museus e um anfiteatro gigante (pra ter uma ideia do tamanho… quase não dá pra ver que eu to na foto).

DSC01466

Pontos mais famosos da cidade: Moai original da Ilha de Pascoa e Cassino Viña del Mar. Saindo do Cassino e andando bastante pela orla, você chega no relógio de flores da cidade… que não tem nada demais mas cismei que queria ir pq é um cartão postal da cidade! Ao menos o caminho rendeu fotos lindas com o pôr do sol na orla.

Moai

Os outros dias em Santiago separamos para compras e passeios aleatórios… voltamos nas lojas que mais gostamos, fomos no Shopping Parque Arauco (mto famoso, mas é simplesmente um shopping e foi o lugar que menos compramos). O legal mesmo são as lojas de rua, principalmente Falabella, Paris, Ripley (tem por todo canto) e La Polar(essa tem que garimpar!). Compramos muitos vinhos em supermercado mesmo… os preços estavam tão bons que nem procuramos muito!

DICA DE RESTAURANTE:

Entre muitos restaurantes que nos indicaram… o melhor foi o “Aqui esta Coco”. Fica no Bairro Providência. MUITO bom… comida e atendimento excelentes! Geralmente fica cheio e só é possível ir com reserva. O restaurante é super charmoso, com decoração estilosa… não deixem de conhecer o subsolo, super romântico!

Aqui esta CocoEssas dicas são bem básicas… Santiago tem muito mais pra oferecer, pesquise e vá sem medo… vale demais a visita!!!

Anúncios

Fim de Semana Relax: Pousada Carumbé – Serra do Cipó

Pra tirar a poeira do blog… vim mostrar mais uma dica de fim de semana relax! Dessa vez fui parar na Serra do Cipó, bem pertinho de BH! Adoro a Serra e suas cachoeiras, mas dessa vez o propósito era relaxar, então ficamos em uma pousada com estrutura top: a Carumbé! Chegamos na sexta e por lá ficamos até domingo!

Vista do quarto

Vista do quarto

Todo canto da pousada tem um charme, uma decoração acolhedora e uma rede pra se jogar!

Pousada Carumbé

O café da manhã e almoço são fartos e bem mineiros… aquele taaaanto de comida boa pra escolher! Achei ótimo os horários estendidos, o café acabava as 11h e almoço era até 15h… ótimo pra curtir uma preguiça sem ter que correr pra não perder a comida!rsrs

Pousada Carumbé

A pousada é bem estilo família, pra quem tem filhos deve ser melhor ainda… dá pra curtir a Serra do dia a noite sem sair do lugar. No jantar a pousada oferece caldos no restaurante, que de noite, é aberto ao público com shows variados nos fins de semana. O caldo deixou um pouco a desejar, mas o cardápio tem outras boas opções!

Fogão à lenha

A piscina chama atenção por ser igual a uma cachoeira (inclusive a água gelada!)… adorei a sensação cachoeira + regalias da pousada (cerveja gelada, espreguiçadeiras, banheiro limpinho…).

Piscina

Na pousada ainda tem opção de piscina coberta e aquecida… tão linda quanto a piscina externa! Como eu sou adepta ao sol e o fim de semana foi generoso com o tempo, fiquei tanto na outra piscina que nem tive vontade de curtir a piscina coberta… nas épocas mais frias deve ser legal!

Piscina Coberta

Esse não é o tipo de viagem que costumo fazer, mas confesso que tenho adorado cada vez mais essas pequenas fugidas de BH… recomendo mto pra renovar as energias!

Pôr do Sol

Ah… o blog tb está no instagram… Segue lá: @eudouadica

Praia do Forno – Arraial do Cabo/RJ

praia do forno

Vista do mirante da trilha… pra compensar a subida!

Há alguns dias tivemos uma folga e aproveitamos pra dar um “oi” pro mar e pegar uma corzinha! Já tinha ido muitas vezes em Cabo Frio e Búzios… mas nunca tinha esticado até Arraial do Cabo, mesmo sendo tão pertinho!

Praia

A Praia do Forno é a mais famosa da cidade, é considerada uma das praias mais bonitas do Brasil… então resolvemos conferir de perto!

Eu dou a dica

Você consegue chegar na praia do forno de duas maneiras: barco ou trilha. Não achei mta informação sobre a trilha na internet, achei algumas pessoas dizendo sobre a subida muito forte, sobre assaltos, mas nada muito convincente! A trilha fica à esquerda da Praia dos Anjos, bem ao lado do Porto do Forno.

entrada trilha

Optamos pela trilha, que é bem simples… de 15 a 20 minutos contando com paradas rápidas pras fotos!

trilha praia

O caminho é bem visível e de fácil acesso, com escadas por quase toda trilha. A subida é bem suportável e rápida… e o topo proporciona uma vista linda da praia!

Trilha

A praia é realmente linda, a cor do mar é incrível e a natureza ao redor da praia completa o visual… agora, a água do mar quebra o clima de praia perfeita, é gelada demais!rsrs.. Só entrei no mar pra constar, a água estava tão gelada que o corpo até ficou dormente!

Praia do Forno

Enfim… vale demais a visita!!!

topo

Vista do topo: Praia dos Anjos

Observações:

– A praia possui alguns bares com estrutura mínima… não espere mto do cardápio e dos preços!rsrs…

– Fomos no mês de novembro e encontramos a trilha com um certo movimento, por isso sentimos segurança pra ir… não sei se os boatos de assalto são verdadeiros, mas acho bem improvável nessas épocas de movimento!

– Achamos a trilha bem fácil, a subida não foi difícil pra gente… mas levem em consideração que somos acostumados com trilhas bem maiores!

Dica de restaurante em BH: Glouton

A dica já está um pouco velha (inclusive preciso voltar lá…), mas é tão boa que vou mostrar mesmo assim! Tempos atrás fomos conhecer um restaurante mto charmoso daqui de BH: o Glouton. Gostei tanto que até acho difícil descrever… qdo me empolgo não falo nada com nada!rsrs…

Glouton

Foto: Divulgação

Apesar de ser um restaurante francês em um ponto super nobre, o lugar não tem mta frescura… mas dá pra perceber que cada detalhe é milimetricamente pensado. O cardápio de lá é pequeno e sempre tem novidades (por isso necessito voltar!!!!)… o formato dele é bem diferente: uma folhinha básica impressa, tipo um panfleto mesmo, achei legal! Outro detalhe que chama atenção pelo diferencial é a água… servem geladinha e de graça! Adorei a delicadeza!

Fotos: Divulgação (montagem do blog)

Fotos: Divulgação (montagem do blog)

De entrada, pedi Tentáculos de polvo com farofa crock… e se parasse por alí, já ia embora feliz! Gostoso demaissss… quase pedi uma marmita só de farofa pra levar!

image

Para o prato principal escolhi “Arraia com purê de couve flor”… fui no céu e voltei com tanta delícia! Nunca tinha comido arraia e amei… textura e sabor ótimos!

image

O marido pediu Jarret de cordeiro… Não tem como olhar esse prato sem ficar com água na boca!

image

Pra fechar com chave de ouro… pedimos uma torta de chocolate amargo com sorbet de frutas vermelhas! O chocolate amargo combinou mto com a leveza do sorbet!

torta chocolate

… ainda comemos o famoso creme brulée da casa! Faz jus à fama… perfeito!

creme brulée

Pra descansar: Lavras Novas durante a semana

Lavras Novas

Há alguns meses fui passar 3 dias em Lavras Novas/MG pra dar uma descansada… já fui lá várias vezes, mas nunca em dia de semana. Me surpreendi com a cidade que, durante a semana, parece outra!!! Os turistas e “butequeiros” desaparecem, a maioria dos bares e lojas nem abrem… tudo MTO calmo!

???????????????????????????????

A tranquilidade foi ideal para descansar bem! Escolhemos uma ótima pousada por indicação de uma amiga: Loft da Serra. Escolhemos um loft super aconchegante, com toda estrutura de cozinha, uma hidromassagem com vista linda… e um dos melhores cafés da manhã da vida.

image

O café da manhã é servido no Bistrô Mariazica, que é ao lado da pousada, quase voltei rolando por conta desse café, pena que não tenho fotos pra mostrar (acordo mal humorada e com fome… esqueci de tirar foto!). Já fui lá outras vezes e nunca me arrependi… quem quiser uma dose magnífica de alguma “gordice”, tem que passar lá!

Nossas maiores companhias na cidade eram os cães… sou louca com cachorros, mas me preocupa mto uma cidade tão pequena com tanto cachorro de rua assim (abandono, maus tratos, doenças e por aí vai…).

image

Como a maioria do comércio não funciona durante a semana, a maior dificuldade foi encontrar um bom lugar pra comer. Encontramos 3 lugares abertos: Um deles é um bem tradicional na cidade e eu já conhecia (os locais só indicam lá!), mas pelo fato da comida lá ser beeeem mineira, pesada e sem muitas opções, escolhemos passear pelos outros 2 lugares que encontramos aberto!

Chegamos na hora do almoço e com fome… passamos por um lugar lindo que já abriu há um tempo mas eu não conhecia, o Santo Graal. Estava tão deserto que achamos que estava fechado, até uma garçonete acenar de lá dentro chamando pra entrar… ainda bem! Cerveja gelada, tira-gosto sensacional (um dos melhores bolinhos de bacalhau que já comi!) e o almoço delícia… pra completar o preço é honesto!

bolinho bacalhau

No dia seguinte fomos conhecer o Pimenta Rosa, só a vista maravilhosa já vale a visita! Lugar agradável, tira-gosto bom… mas nada surpreendeu mto!

???????????????????????????????

Acabamos voltando no Santo Graal… se tivéssemos mais dias, voltaríamos lá pra terminar de conhecer (e provar) o cardápio! O lugar é bem agradável, os garçons são simpáticos e atenciosos (não sei se era pela falta de clientes tb né…rsrs) e o cardápio bem chamativo. Finalizamos com uma maravilhosa Panhoca com filé e gorgonzola…

panhoca

Dica de Chef

???????????????????????????????

Hoje a minha função é só repassar a dica… pq mão na massa que é bom, quase não rolou! O prato todo foi ideia do marido, então só me restou ser assistente de cozinha e fotógrafa!

???????????????????????????????

Depois de tudo pronto, demos o nome: Abóbora ao murro com pomodori e calabresa. Só tenho uma coisa a declarar… não é o prato mais fácil que já mostrei, mas vale a pena se esforçar um pouco mais! Ficou sensacional!!!

Você vai precisar:

DSC05461

1- Abóbora Moranga .2- Mini Tomate Italiano . 3- Linguiça Calabresa . 4- 1 Ovo . 5- Requeijão . 6- Farinha de Trigo

Corte a moranga em pedaços grandes, coloque em um refratário, cubra com alumínio e leve ao forno por aproximadamente 50 minutos (ou até ficar macia… espete com um garfo e saberá!).

???????????????????????????????

Enquanto a abóbora está no forno, vá preparando o molho. Em uma frigideira, coloque a calabresa para fritar (sem óleo, ela já é bem gordurosa!)… deixe até ficar crocante. Reserve a calabresa.

image

Com a gordura que restou da calabresa, refogue o tomate. Acrescente algumas folhas de manjericão e tomilho para dar sabor. Acrescente água e deixe ferver bastante, vá acrescentando água aos poucos (esse processo pode ser feito até a abóbora ficar pronta).

image

Retire a abóbora do forno. Separe a polpa da casca. Em uma vasilha, misture a abóbora com 3 colheres (sopa) de requeijão, 3 colheres (sopa) de farinha de trigo e 1 ovo. Adicione um pouco de açafrão para colorir um pouco a mistura e noz moscada (rale na hora) para dar um sabor incrível! Coloque um fio de azeite em uma frigideira e “jogue” bolinhos da massa para dourar os 2 lados (use 2 colheres para auxiliar: uma pega um bocado e a outra empurra pra frigideira… deu pra entender?).

image

Junte a calabresa ao molho de tomates. Monte o prato colocando as abóboras (que na verdade são bolinhos… mas parecem bem que foram socadas!) e coloque o molho por cima. Para finalizar, passe um fio de azeite no prato.

???????????????????????????????

Ah… colocamos alguns alhos com casca para assar (por 20… 30 minutos) também e acrescentamos no prato. O alho assado com casca fica com um sabor mto bom, não fica forte e a casca não deixa ele queimar no forno… dá pra acrescentar em vários pratos!

Bacalhau na Nata

Hj a dica não é exatamente minha… aliás, é quase nada minha!rsrs… dou a dica de hoje como uma ótima auxiliar de cozinha que sou! Não que o prato seja difícil, mas o marido faz tão bem que é melhor não mexer em time que tá ganhando!

DSC04558

Esse bacalhau é sucesso, ninguém consegue comer pouco!

Você vai precisar:

DSC04505

1- Azeite . 2- Requeijão Cremoso . 3- Creme de Leite Fresco . 4- Batata . 5- Queijo Parmesão . 6- Noz Moscada . 7- Bacalhau . 8- Finge que tem cebola, Louro e Pimenta do Reino na foto

Comece a dessalgar o bacalhau um dia antes de prepará-lo (sempre com água gelada), troque a água pelo menos umas 3 vezes.

DSC04445

Em uma panela, coloque 500 ml de leite, meia cebola picada, 2 folhas de louro, uma pitada generosa de noz moscada e pimenta do reino (segundo o marido, isso é pra aromatizar o leite!), depois de ferver, coloque o bacalhau no leite e deixe fervendo em fogo baixo (10 a 14 minutos… até o bacalhau ficar macio). Retire o bacalhau e coe o leite. Desfie grosseiramente o bacalhau.

image

Pique as batatas em pequenos quadradinhos e fervente no leite coado, acrescentando mais uma pitada de noz moscada e 250 ml de creme de leite fresco.

image

Corte as cebolas, em formato de meia-lua.

DSC04527

Comece a montar o prato. Passe um fio de azeite, coloque as cebolas no fundo, em seguida, as batatas e o leite até quase cobrir tudo. Acrescente mais um fio de azeite, bacalhau e uma quantidade generosa de requeijão cremoso. Para finalizar, uma camada de queijo parmesão ralado.

image

Leve ao forno por aproximadamente 25 minutos.

DSC04553

Quem fizer volta aqui pra contar se deu certo!

DSC04555

 

 

É o que tem pra hoje…

Aqui em casa cozinhamos muito, seja almoço em família, jantar especial, petiscos pros amigos… ou simplesmente porque deu vontade! Eu amo essa receita e tinha muito tempo que não fazíamos… Se um dia tiver que cozinhar pra alguém, mas você não leva mto jeito pra coisa… essa é a receita! Simples, diferente, bonita e agrada praticamente todos os paladares!

image

Nunca pensei em um nome pra esse prato… sempre que penso nele só sei dizer o quanto é bom! Basicamente, é uma batata quase toda fatiada em lâminas, assada com azeite, bacon e queijo parmesão, acompanhada de filé mignon, um molho sensacional e alho assado (o agrião coloquei só hoje pra enfeitar).

Você vai precisar:

1

– Bacon: a quantidade varia de acordo com seu gosto. Pique em fatias bem finas.

– Batata Inglesa: sempre escolho as maiores. Geralmente, uma por pessoa é suficiente.

– Filé Mignon: faço vários bifinhos com 2 dedos de largura, e coloco dois em cada prato.

– Queijo Parmesão: o suficiente para cobrir as batatas.

– Cebola, alho, cenoura e azeite: não estão na foto mas são essenciais!

O primeiro passo é cortar as batatas. Use uma colher de arroz para auxiliar, pois reparem que não corto a batata completamente, ela fica toda unida na parte de baixo (a colher de arroz não deixa a faca chegar até o fim da batata).

image

Depois de picadas, coloque as fatias de bacon entre as lâminas. Coloque as batatas em um refratário com azeite e alho com com casca e leve ao forno por 40 minutos.

image

 

Enquanto isso, comece a preparar o molho da carne (ideia acrescentada e executada pelo marido). Em uma panela, coloque as sobras da carne (as partes feias que tiramos do filé), cenoura picada, a pele do bacon (aquela parte mais grossa que não usamos) e alho com casca. Refogue um pouco e em seguida coloque bastante água (uns 2 dedos acima de tudo), deixe ferver até a quantidade se reduzir pela metade. Coe o caldo e reserve.

image

 

Agora vamos ao filé… Corte bifes com 2 dedos de largura e tempere somente com sal. Corte meia cebola em meia lua e reserve.

imageAntes de fritar os bifes, retire as batatas do forno (pq provavelmente já vão ter passado os 40 minutos que precisamos pra batata assar) e cubra com parmesão ralado, deixe por mais 10 minutos no forno (até dourar o parmesão).

image

Esquente bem a frigideira, passe um fio de azeite e coloque os bifes, por aproximadamente 2 minutos em cada lado. Depois vire os bifes para selar as laterais também. Depois de prontos, retire-os da frigideira e aproveite o sabor que ficou para fazer o caldo. Doure as cebolas, acrescente 2 colheres de sopa de aceto balsâmico e coloque o caldo que foi reduzido. Dessa vez, deixe reduzir até quase secar.

image

 

Em um prato, coloque 2 filés cobertos com o molho reduzido, uma batata assada e salpique alguns alhos assados (com casca mesmo… depois de assados eles se soltam muito fácil da casca e ficam com um sabor incrível). Se quiser, acrescente uma saladinha pra enfeitar!

image

Um bom vinho vai mto bem com esse prato!